terça-feira, 23 de dezembro de 2008

- Abismo

o sorriso que não sai do rosto desconcentra.
as palavras não conseguem sair da minha cabeça,
não consigo transmiti-las pro papel. eu deveria me preocupar com a distração, mas meu coração pula de alegria quando eu viajo nas lembranças de um final de tarde com o céu estampado de nuvens que parecem algodão, junto com a chuva fina. eu gostaria de parar o tempo e repetir as doses de olhares tranqüilos e apaixonados, repetir as palavras, ouvir de novo e abraçá-lo como se fosse o último dia, só por hoje. eu preferia ser romântico e escrever cartas de amor, mas a racionalidade faz com que eu te mostre o caminho verdadeiro, pois o da fantasia é fantástico demais para a realidade da distância. mas o adeus não é pra sempre. ele é a força que faz com que eu queira insistir nas minhas loucuras de sair daqui e pular em braços que até então eram desconhecidos e que ao mesmo tempo são os braços mais confortáveis que já me abraçaram. perdi o medo e a vontade de querer saber o que será de mim daqui pra frente. a realidade exige que eu a encare de fato. por isso vou manter esse sentimento guardado dentro de mim; por isso vou segurá-lo pela mão e saltar no primeiro abismo em busca dos meus sonhos.

3 comentários:

Jotta disse...

Em busca dos nossos sonhos até abismos são aceitáveis... Aliás, as vezes só neles é q a gente realemnte encontra-os.

merry christmas!!!!

Tatah Marley's Confissões disse...

Assino embaixo!

Ed Anjos (y) disse...

Sim, o adeus não é pra sempre.
sentimento lindo esse *--*
Muito bom.