sexta-feira, 20 de março de 2009

- Permaneço

-


Não digo uma palavra; não posso. Perdi a capacidade. Já não importa. Não faria diferença alguma. Não mais. Mesmo que eu suplicasse, mesmo que eu dissesse o que deveria ter dito, as palavras cairiam no chão, gotas de suor perdidas, inúteis, desnecessárias, como as de um morto que sua mais não vive. Não vive, e eu, morto não sei porque ainda permaneço vivo.

4 comentários:

Jotta disse...

Massa, é um zumbi acalorado!

Sorry pela pobreza dos meus coments é q tou trabalhando para cara léo!

bços

Jr

NanY|zinhaa~* disse...

ninguém sabe porqeu permanece vivo, apenas se vive. adorei [novamente]o texto (;
beeijos

Ed Anjos (y) disse...

'

que perfeito as palavras dele.
vou procurar esse livro *-*

Jéssica do Vale. disse...

aain, saudade mesmo!
vamo marcar de sair, né?!
beijo, Tiu.