terça-feira, 18 de novembro de 2008

- O amor, A paixão.

- Agora preciso de tua mão, não para que eu não tenha medo, mas para que tu não tenhas medo. sei que acreditar em tudo isso será, no começo, a tua grande solidão. mas chegará o instante em que me darás a mão, não mais por solidão, mas como eu agora: por amor(...) o amor é tão mais fatal do que eu havia pensado, o amor é tão inerente quanto a própria carência, e somos garantidos por uma necessidade que se renovará continuamente. o amor já está, está sempre. falta apenas o golpe da graça - que se chama paixão.

2 comentários:

Jotta disse...

Me bateu uma fominha de final de tarde manja?!
Daí perguntei o q temos pra comer? onde?
Lembrei da tua cozinha e vim correndo...
Tou com o bucho cheio, estufado!
Fuck...

Ed Anjos (y) disse...

tudo PERFEITO, tudo VERDADE.
tu é o cara vei.